VÔLEI | Vôlei Ribeirão reaproxima família da cidade

19/01/2018

Ponteiro Gabriel, do Vôlei Ribeirão, transforma em realidade sonho
de adolescente de 15 anos

Não é só dentro de quadra que o São Francisco Saúde/Vôlei Ribeirão vem fazendo seu papel. Fora dela também. Nos últimos meses, várias foram as ações sociais em entidades beneficentes da cidade. Os jogos da equipe têm levado grande público ao Ginásio Gavino Virdes, na Cava do Bosque. E foi justamente isso, a aproximação da torcida com a equipe, que provocou um resultado excelente: a reaproximação de pais e filhos.

Eduardo e Juliane haviam se separado depois de dois anos de namoro, onde cada um seguiu seus passos. A filha, Ana Clara Fachini Oliveira de Souza, apaixonada por vôlei, frequentava as aulas da escolinha da Cava, levada por seu pai. Mas a relação mudou justamente com o início do projeto do Vôlei Ribeirão. Eles começaram a participar dos jogos, atendendo ao desejo da filha, até isso se tornar uma rotina agradável. Mais que a rotina agradável, a distância entre eles ficou menor, a relação melhorou e hoje pai, mãe e filhos convivem com mais harmonia.

"A palavra que nos uniu novamente é o vôlei, não tem outra explicação. A gente se conheceu jogando, brincando na rua. Começou o namoro, mas por imaturidade nos separamos. Mas o que reaproximou eu, ele e os filhos foi uma brincadeira na quadra de vôlei e assim continuou e assim continuará", conta Juliane.

Eduardo também entende que o esporte reaproximou os dois. "Através do esporte você se torna uma pessoa melhor. Se torna uma pessoa de caráter. Você aprende o que é certo ou errado. O esporte te traz tudo isso. Além de fazer bem para saúde, para o caráter e para alma, o esporte reaproxima e traz pessoas boas ao seu lado".

Surpresa de 15 anos
A história do casal chegou ao conhecimento do secretário de Esportes, Ricardo Aguiar. Além disso, Aguiar tomou conhecimento que a filha deles, Ana Clara, completaria 15 anos e que o grande sonho seria a participação dos jogadores na festa e dançar a valsa de debutante com o ponteiro Gabriel, por ser grande fã do atleta. O secretário conversou com a comissão técnica e fez o pedido especial aos jogadores, que mesmo em momento de preparação para a Superliga B, entenderam e foram participar de surpresa da festa.

A festa foi realmente uma surpresa. Ana Clara e os convidados acompanharam pelo telão mensagens do elenco do vôlei desejando felicidades e explicando porque não poderia participar. Quando todos estavam atentos ao telão, ao final das mensagens, Gabriel, com traje de gala, entrou no salão, acompanhado do elenco. Ana Clara não acreditou na surpresa e caiu em prantos. Dançou com o "príncipe" e realizou o seu sonho.

"Encontrar o Gabriel e o time foi uma surpresa. Abraçar o Gabriel foi emocionante. Foi um sonho dançar com ele", falou Ana Clara, já chorando.

"Foi muito legal a festa, sentir e ver o tamanho do carinho que eles tinham pelo time e por mim. Eu até fiquei assustado no início, mas foi emocionante. Ajudar a realizar esse sonho foi gratificante e aqui falo em nome do elenco", enfatizou Gabriel.

"Primeiro dizer que fiquei sensibilizado com a história e feliz com a reaproximação do casal. É bem saber que o esporte proporciona histórias como essas. Minha parte foi muito simples, foi só um pedido aos jogadores que entenderam a situação. O esporte é um instrumento de transformação na vida das pessoas. E essa aproximação ídolo e torcedor tem que ser feita sempre que possível", finaliza Ricardo Aguiar.

O Vôlei Ribeirão é um projeto de iniciativa da Prefeitura de Ribeirão Preto, por meio do Fundo Social de Solidariedade, e conta com patrocínios da São Francisco Saúde, Sicoob e Raízen, e apoio da Secretaria Municipal de Esportes, Fórmula Academia, Clínica Collucci, Muraca Sports e Salute Restaurante e Pizzaria. Além do lado esportivo, a equipe tem caráter social. O projeto consiste ainda em inclusão social por meio do esporte.

Texto: Fabiano Ribeiro
Foto: FL Piton/CCS / Colaboração